Você está aqui

Sitivesp promove Workshop sobre GHS

O Departamento de Segurança e Meio Ambiente do SITIVESP realizou no dia 24 de setembro, o Workshop “GHS – Novas Rotulagens das Embalagens de Tintas – Sistema Harmonizado Globalmente para a Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos”. Durante a abertura do evento, o presidente Narciso Moreira Preto, afirmou que como entidade responsável pela indústria de tinta paulista, o SITIVESP tem obrigação de informar. 
 
Apesar da obrigação do uso da Rotulagem entrar em vigor a partir de 01/12/2015, muitas empresas ainda não estão adequadas e só temos 45 dias úteis para o início da nova obrigação, comenta Narciso Preto. “O que fizemos para todas as indústrias de tintas de São Paulo que foram convidadas, foi informar adequadamente quais serão as suas obrigações e para os nossos associados agendaremos horários para consultas com nossa assessoria técnica para que possam tirar dúvidas surgidas após o Workshop”.
 
O primeiro palestrante, Mario Del Nunzio, da Afam Tec, enfatizou que a maior dificuldade é o impacto do pequeno prazo para que tudo isso se concretize até 1º de dezembro. Segundo ele, não haverá nova prorrogação como já aconteceu. “Isso quer dizer que realmente a grande novidade é a pressão que o grupo de empresas filiadas ao SITIVESP e todos os fabricantes de tintas terão para conseguir, em tão pouco tempo, materializar em suas embalagens todas as necessidades que o GHS exige, principalmente aquelas empresas que ainda não começaram a pensar no assunto”.
 
Nunzio explica que a química é dividida em dois grandes grupos de produtos, as matérias-primas que são fabricadas pelas grandes empresas e que estavam completamente adaptadas e inseridas nesse contexto, e os outros produtos químicos, que são misturas e composições, neste caso, como já foi dito acima, o prazo encerra-se no dia 01/12/2015. “Por isso nosso prazo está tão curto, pois essa outra porção de produtos químicos foi deixada para agora”.
 
Um dos pontos críticos para os fabricantes dessas misturas é que as composições são infinitas, logo, qualquer tipo de mudança significa um novo produto. “Essa parte é difícil, sendo assim, é necessário um pouco mais de bom senso e interação junto ao governo e as instituições para que tudo tenha um final feliz”.
 
Do ponto de vista financeiro, Nunzio diz que toda legislação tem sua punição. As multas podem ser aplicadas em graus variados chegando até ao fechamento da empresa caso a gravidade daquilo que está sendo feito atinja frontalmente a segurança da pessoa que está manuseando o produto.
 
A segunda palestra foi do gerente de Qualidade Corporativa do Sindicato Nacional da Indústria de Estamparia de Metais (Siniem), Antonio Nicolau Carneiro. Ele diz que esse tipo de Workshop é muito importante para as empresas, porque falta muito conhecimento no mercado. “Muita gente ainda tem dúvida, inclusive do contraste de normas. Algumas normas andam contrastando com outras”.
 
Encerrando o evento, o diretor Executivo do SITIVESP, Paulo Cesar Aguiar, orientou os participantes a ficarem atentos, uma vez que as multas são pesadas e existe a necessidade das empresas cumprirem a legislação vigente. “Fiquei feliz pelo número de participantes. Notamos que o assunto despertou o interesse dos presentes”